12 de março de 2008

Casal homossexual conta em livro os passos da adoção de quatro irmãos

A adoção de quatro irmãos por um casal homossexual de Ribeirão Preto é o tema de um livro que será lançado nesta terça-feira (11) no interior de São Paulo. A obra narra os preconceitos e os desafios enfrentados.

Já são 16 anos vivendo juntos. Os cabeleireiros Edson Paulo Torres e João Amâncio sempre tiveram vontade de escrever um livro sobre os preconceitos e as dificuldades que enfrentaram para assumir o relacionamento. Mas o projeto só foi colocado em prática depois que Suelen, Carol, Willian e Bia apareceram na vida do casal. “Hoje em dia é muito difícil alguém querer adotar uma criança já grande. Imagine então adotar quatro…”, diz Torres.

O livro “Adoção de 4 irmãos” foi escrito pelos dois cabeleireiros aos finais de semana e à noite, depois do trabalho. As crianças acompanharam de perto o processo de produção. Depois de fazer a lição de casa, podiam até dar palpites.

Para os autores, o principal objetivo da obra é divulgar o sucesso na adoção dos quatro irmãos. Por causa da dificuldade de encontrar casais dispostos a adotar todos de uma vez, a Justiça chegou a pensar em separá-los.

João Amâncio quer que o livro também seja um incentivo à adoção tardia. “A fila está grande, mas para bebês pequenos. Já as crianças acima de quatro sobram nos abrigos. É preciso abrir o coração”, afirmou.

O casal é responsável por todos os gastos com publicação e edição do livro, e fez questão de incluir depoimentos de funcionários do Fórum de Ribeirão Preto e de educadores que acompanharam a história a família. “Acho que falta mais amor, humanidade e carinho nas famílias. Esse livro vai ajudar muita gente”, diz Edson Torres.

O livro conta como foi feito o pedido de adoção e fala das principais fases do processo. As crianças passaram um ano por adaptação e há 3 meses foram concedidas as tutelas. Agora só falta sair a sentença de adoção e a decisão da Justiça sobre como vai ser o novo sobrenome e quais serão os direitos dos filhos por ser um casal de homossexuais.

Suelen Cristine, de 11 anos, é a filha mais velha e se diz orgulhosa dos pais com o lançamento do livro. Ela narra como recebeu a notícia de que vai ficar definitivamente com o casal. “Parece que eu nasci de novo. Na hora em que eles falaram comigo, eu disse: Žmuito obrigado, meu Deus`. Me apeguei muito a eles”, diz.

Segundo a menina, outras crianças na mesma situação que a sua não devem perder a esperança. “Elas vão conseguir o que querem. Não deve haver preconceito com ninguém”, afirma.

Fonte: Globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *