28 de outubro de 2020

Projeto 40 Anos Fazendo História entrevista Edite do Amaral – Sócia-fundadora do Colégio Registral do RS

#40anoscolégioregistraldors

Para marcar seus 40 anos em 2020, o Colégio Registral do Rio Grande do Sul está contando um pouco de sua história e de sua atuação, por meio da vivência de importantes pessoas que contribuíram para seu desenvolvimento. O objetivo é compartilhar experiências e homenagear a relevante participação destas pessoas, para mantermos vivas as memórias da instituição.

Confira abaixo a entrevista com a sócia-fundadora Edite do Amaral, titular do Ofício de Registro de Imóveis de São Leopoldo (RS).

“O Colégio Registral do RS é o farol que norteia as atividades dos registradores gaúchos e acho que tem se saído muito bem nessa tarefa” – Edite do Amaral, sócia-fundadora

 

Colégio Registral do RS – Como se sente em fazer parte dos 40 anos de história do Colégio Registral do RS, sendo parte fundamental de sua instituição?

Edite do Amaral – “Com orgulho posso dizer que sou sócia-fundadora do Colégio Registral do RS, tendo participado das reuniões de registradores em que se planejou a criação de nossa entidade de classe. Sou registradora de Imóveis em São Leopoldo desde 1979, tendo exercido anteriormente a mesma função em Sant’Ana do Livramento. Antes de prestar concurso para titular, trabalhei cinco anos como escrevente no Serviço de Registros Públicos de Panambi, minha terra natal.”

 

Colégio Registral do RS – Quais foram as suas principais participações na criação da entidade e na construção de seus feitos?

Edite do Amaral – “Participei de algumas das Diretorias que administraram o Colégio Registral do RS e recordo com saudade dos colegas que se dedicaram ao engrandecimento da entidade e deram sua valiosa colaboração para que o Colégio Registral do RS alcançasse o prestígio que atualmente desfruta.”

 

Colégio Registral do RS – Na sua opinião, quais as maiores conquistas da entidade para a classe registral nestes 40 anos de atuação?

Edite do Amaral – “Envolvemo-nos com afinco na aquisição da primeira sede própria, na Rua Riachuelo [Centro Histórico de Porto Alegre] e posteriormente na sede atual, que teve como protagonista chefe, nosso querido colega Mário Mezzari.”

 

Colégio Registral do RS – Para a senhora, qual é a importância do Colégio Registral do RS para a classe registral gaúcha?

Edite do Amaral – “Para mim, o Colégio Registral do RS é o farol que norteia as atividades dos registradores gaúchos e acho que tem se saído muito bem nessa tarefa.”

 

Colégio Registral do RS – Qual sua visão sobre a atividade extrajudicial atualmente?

Edite do Amaral – “Recordo com certa nostalgia da época em que para trabalhar no cartório bastava conhecer a Lei dos Registros Públicos e o Código Civil, sem o cipoal de leis, provimentos, circulares, notas, e-mails, e-procs e malotes em que se transformou nossa atividade.”

 

Colégio Registral do RS – E seu recado para quem nos lê?

Edite do Amaral – “Quero parabenizar todos os colegas que resolveram abraçar essa profissão, porque a acho fascinante e desafiadora, pois a cada dia surgem novas questões que merecem estudo e pesquisa.”

 

Fonte: Caroline Paiva
Assessoria de Comunicação – Colégio Registral do RS