11 de setembro de 2020

Projeto 40 Anos Fazendo História entrevista Érico Gonçalves – Sócio-fundador do Colégio Registral do RS

#40anoscolégioregistraldors

Para marcar seus 40 anos em 2020, o Colégio Registral do Rio Grande do Sul está contando um pouco de sua história e de sua atuação, por meio da vivência de importantes pessoas que contribuíram para seu desenvolvimento, como os sócios-fundadores. O objetivo é compartilhar experiências e homenagear a relevante participação destas pessoas, para mantermos vivas as memórias da instituição.

Confira abaixo a entrevista com o sócio-fundador Érico Guedes Gonçalves, registrador do Ofício de Registro de Imóveis de Palmeira das Missões (RS) e associado ao Colégio Registral do RS desde a fundação.

 

“A importância do Colégio Registral do RS está em fornecer material intelectual e pessoal altamente capacitado para o estudo e aperfeiçoamento dos associados e seus funcionários” – Érico Gonçalves, sócio-fundador

 

Colégio Registral do RS – Como se sente em fazer parte dos 40 anos de história do Colégio Registral do RS, sendo parte fundamental de sua instituição?

Érico Gonçalves – “Me sinto muito honrado em ter sido um dos fundadores e de continuar fazendo parte do Colégio Registral do RS”.

 

Colégio Registral do RS – Quais foram as suas principais participações na criação da entidade e na construção de seus feitos?

Érico Gonçalves – “Participei da Assembleia Geral de aprovação e posteriormente segui participando dos eventos produzidos pela entidade”.

 

Colégio Registral do RS – Na sua opinião, quais as maiores conquistas da entidade para a classe registral nestes 40 anos de atuação?

Érico Gonçalves –  “Considero sua maior conquista a incessante defesa da classe, dos registradores e de seus associados perante a sociedade”.

 

Colégio Registral do RS – Para o senhor, qual é a importância do Colégio Registral do RS para a classe registral gaúcha?

Érico Gonçalves – “A importância está em fornecer material intelectual e pessoal altamente capacitado para o estudo e aperfeiçoamento dos associados e seus funcionários”.

 

Colégio Registral do RS – Qual sua visão sobre a atividade extrajudicial atualmente?

Érico Gonçalves – “Quanto aos titulares e funcionários, considero o alto nível de capacidade intelectual e a praticidade alcançado, por outro lado, é grande a interferência dos órgãos de fiscalização nos serviços, especialmente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ainda, de algumas entidades de classe se utilizando do Congresso Nacional para redução, e até isenção de emolumentos, na minha opinião isso descaracteriza o Artigo 236 da Constituição Federal”.

 

Colégio Registral do RS – E seu recado para quem nos lê?

Érico Gonçalves – “Meu recado é para os jovens e novos registradores. Que continuem mantendo da melhor forma a nossa entidade. Valorizem cada vez mais a nossa classe, estudando e se aperfeiçoando para destacar a classe a nível nacional,  jamais esquecendo dos idealizadores desta grande entidade”.

 

Fonte: Caroline Paiva
Assessoria de Imprensa – Colégio Registral do RS