7 de outubro de 2020

Projeto 40 Anos Fazendo História entrevista Julio Weschenfelder – Presidente do Colégio Registral do RS gestão 2012/2013

#40anoscolégioregistraldors

Nesta série de vídeos e entrevistas, o Colégio Registral do Rio Grande do Sul busca contar um pouco de sua história e de seus 40 anos de atuação e representação, por meio da vivência daqueles que passaram pela Presidência da entidade. O objetivo é compartilhar experiências e relembrar a passagem destas pessoas que são memórias vivas da instituição.

Confira abaixo a terceira entrevista da série, com o ex-presidente Julio Cesar Weschenfelder, o mais jovem a presidir a entidade, que esteve à frente da gestão no biênio 2012/2013.

 

“O Colégio Registral do RS é uma das entidades representativas mais atuantes que conheço e fazer parte de sua história é uma honra”
Julio Cesar Weschenfelder, ex-presidente (gestão 2012/2013)

 

Julio Cesar Weschenfelder iniciou na carreira extrajudicial aos 20 anos, na cidade de Venâncio Aires (RS). É graduado em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), pós-graduado em Direito Tributário pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em Direito Processual e Direito Imobiliário pela Unisc, e em Direito Notarial e Registral.

Atualmente, Weschenfelder é titular do cartório de Registros Públicos de Vera Cruz (RS), desde 2006. Durante sua trajetória na área, passou por outras serventias do estado, como o cartório de Registros Públicos de Venâncio Aires (RS), onde atuou de 1988 a 1993 como escrevente autorizado, e o Ofício de Registro de Imóveis de Santa Cruz do Sul (RS), sendo substituto e advogado empresarial de 1997 a 1999.

Além da presidência no Colégio Registral do RS, o registrador foi representante do Conselho Deliberativo e vice-presidente regional (pelo RS) do Instituto de Registro Imobiliário do Brasil (IRIB). É ainda representante gaúcho no Conselho Deliberativo do Operador Nacional do Sistema de Registro Eletrônico de Imóveis (ONR), segundo-secretário, assessor da Presidência e coordenador da seção Perguntas & Respostas do Colégio Registral do RS, membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Registro Imobiliário do Rio Grande do Sul (IRIRGS) e membro do Instituto de Títulos e Documentos e de Pessoas Jurídicas do Rio Grande do Sul (IRTDPJ/RS).

Cartório de Registros Públicos de Vera Cruz (RS), onde Weschenfelder é titular

Segundo o ex-presidente, a oportunidade de estar à frente da gestão do Colégio Registral do RS surgiu naturalmente, com a sua participação ativa em reuniões e na integração de Diretorias anteriores. “Fui coroado em um processo eleitoral que obteve unanimidade de votos válidos, sendo eleito o mais jovem presidente”, comentou.

Para Weschenfelder, seu período como presidente no Colégio Registral do RS foi marcado pela dedicação e sacrifícios pessoais, também pela modernização da atual sede da entidade, que considera um dos maiores feitos da gestão, pela infraestrutura necessária e adequada que possui. Chamada de “Casa do Registrador Gaúcho”, a instalação da entidade na nova sede ocorreu em 2013.

“Na maioria das gestões de entidades associativas, sempre há muito trabalho e poucos dispostos a colaborar. A dedicação é praticamente integral, com uma boa dose de sacrifício do convívio familiar e da atividade no cartório, para poder vencer as demandas e desafios que se apresentam. No entanto, a satisfação de poder colaborar para o enobrecimento da atividade motiva”, disse.

As principais bandeiras que Weschenfelder levantou durante sua gestão foram: a reivindicação da realização de concurso público de ingresso e remoção nas atividades notariais e registrais, a divulgação de medidas de esclarecimento sobre os serviços registrais para conscientizar sobre a importância das atividades para a sociedade, além do trabalho de repúdio à PEC 471, que pretendia efetivar tabeliães e registradores sem concurso público.

Já dentre os desafios que enfrentou, o ex-presidente citou os ataques diários que a atividade sofre, vindos de diversos setores. “Tivemos de enfrentar, visando minimizar ou neutralizar seus efeitos. Mas, a gestão que tive o prazer de conduzir, foi pautada por decisões conjuntas, com ampla participação da Diretoria, o que nos permitiu decisões mais democráticas e acertadas”, relatou.

Weschenfelder acredita que a atuação dos registradores é um case de sucesso que demonstra competência e capacidade evolutiva frente ao desenvolvimento tecnológico. De acordo com o registrador, os profissionais extrajudiciais sempre se mantiveram atentos e vigilantes para o alcance da segurança jurídica.

“Desde o princípio fomos acostumados a protagonizar na sociedade a utilização dos mecanismos tecnológicos disponíveis, desde a escrita a pena, até a inteligência artificial. Um dos maiores desafios com o qual nos deparamos hoje, além das questões tecnológicas, é o de demonstrar permanentemente a importância e os benefícios das atividades notariais e registrais para a sociedade, frente aos insistentes ataques que visam desestabilizar e desautorizar os serviços”, relatou.

A representação séria e incansável dos interesses dos associados e da classe registral é para o registrador a principal e mais marcante conquista da entidade nestes 40 anos de atuação. “O Colégio Registral do RS é uma das entidades representativas mais atuantes que conheço e fazer parte de sua história é uma honra. A meu ver, sua importância é refletida na atuação permanente em prol dos interesses dos registradores gaúchos”, refletiu.

Por fim, o recado que o ex-presidente deixa é para os associados:

“A passagem do aniversário dos 40 anos de existência do Colégio Registral do RS nos permite uma reflexão: ao longo deste período a união em torno da administração possibilitou, e vem possibilitando, o enfrentamento de pleitos e nos conduzindo a muitos resultados, senão ideais para alguns, factíveis para outros, consideradas as contingências com as quais nos deparamos. A participação de todos os registradores resulta em unidade, qualificando os pleitos da entidade e da classe. Havendo união, o resultado tende a ser mais benéfico”, concluiu.

 

Fonte: Caroline Paiva
Assessoria de Comunicação – Colégio Registral do RS